Você Sabia?

Síndrome RED-S. Entenda o que é, como evitar e tratar.

RED-S

Tem se sentido cansado demais ultimamente? Você tenta praticar seus exercícios de sempre e seu corpo simplesmente parece não responder? Bom,é melhor ficar atento a todos os sintomas porque você pode sofrer de uma síndrome ainda não muito conhecida, a Deficiência de Energia Relativa ao Esporte (RED-S).

A RED-S foi sacramentada já em 2014 em uma reunião do Comitê Olímpico Internacional (COI) e nada mais é que uma inadequação da disponibilidade de energia para atender às demandas metabólicas do corpo e da prática esportiva. Isso pode acontecer por um desequilíbrio entre o consumo e o gasto energético. O que você consome vem da alimentação e o que se ‘gasta’ está relacionado a basicamente três coisas: ao metabolismo basal (manutenção das funções vitais, como dormir, respirar, andar etc.), à produção hormonal adequada e à atividade física.

Segundo especialistas, o desequilíbrio energético por um longo tempo pode causar alterações fisiológicas e deficiências nutricionais bem severas.

Para que entenda melhor, os sintomas mais comuns da RED-S são cansaço excessivo, perda de rendimento, irritabilidade, depressão, além de perda da concentração, redução da força muscular e até fraturas.

A síndrome RED-S afeta ambos os sexos e nas mulheres, o primeiro sinal de desequilíbrio é a interrupção do ciclo menstrual. Já nos homens, o diagnóstico é mais demorado e acaba sendo percebido em um estágio mais avançado.

Para retomar o pique total, existem cuidados especiais que você pode ter no pré e pós-treino. Um plano alimentar individualizado, por exemplo, é fundamental, já que as pessoas têm necessidades calóricas e nutricionais diferentes e pra isso, busque seu nutricionista.

Mas encontramos também algumas orientações gerais que funcionam.

Pré-treino
– A refeição deve ser rica em carboidratos e com uma proteína de boa digestão. Evite comidas gordurosas.
– Cerca de 40 a 60 minutos antes de correr, dê preferência aos carboidratos de baixo a médio índice glicêmico (banana, pera, morango, sucos de frutas; alguns pães, torradas e geleia sem açúcar).
– Alimentos ricos em proteína devem ser evitados no pré-treino ( isso pode depender de cada indivíduo)

Pós-treino
– Alimente-se o mais próximo possível do final do exercício, até mesmo para evitar perdas de massa magra.
– Agora, já opte pelos carboidratos de alto índice glicêmico (pão branco, mel, batata, arroz) associados às fontes de proteína — carnes magras e queijos.
– É interessante se pesar antes e depois do treino ou da prova, e consuma pelo menos 1 litro de água para cada quilo perdido durante a atividade.

Não só esses cuidados devem ser sempre incluídos na sua rotina para evitar a síndrome RED-S, mas também é preciso cuidar do seu corpo durante as provas mais longas. Se você correr apenas 5 km, por exemplo, não precisa repor carboidratos, mas se o treino for longão ou a prova for acima de 10km, você deve repor essa fonte de energia.

Outro fator essencial para o equilíbrio do organismo é a recuperação e para combater o cansaço excessivo, o repouso é a melhor solução. Descanso e recuperação, tanto metabólica quanto psicológica, são igualmente importantes na prevenção de lesões. Respeite as pausas entre os treinos, procure dormir e comer bem para que mantenha um equilíbrio e não se encontre tendo que ficar de molho, sem fazer o que mais gosta, por conta de uma lesão ou doença.

A RED-S é um sinal de perigo, por isso é fundamental um diagnóstico correto e preciso dado pelo médico do esporte e uma abordagem multidisciplinar no tratamento dessa síndrome, envolvendo médico, nutricionista, psicólogo e treinador. Fique atento e cuide-se sempre!

Fonte: Ativo

Leia aqui também sobre como seu sono se beneficia da prática da corrida.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar o post

Newsletter

Publicidade